Faça Parte do Nosso Grupo no WhatsApp

Imagem

VdE | 5 vagas- enfermeiras de saúde materno infantil | CONTACT

 



FUNÇÃO

Será responsável pela organização dos serviços SMI, arquivos clínicos e integração dos serviços TARV nas sub-divisões (CCR, CPN, Maternidade, CPP, PF, SAAJ); por garantir a qualidade de preenchimento dos processos clínicos, fichas de seguimento, livros de registo nas consultas, CPN, Maternidade, CCR, FILA, MMIA, etc; por garantir a qualidade do seguimento do paciente - diagnóstico correcto, estadiamento da OMS, determinação precoce da elegibilidade ao TARV, início TARV, rastreio da Tuberculose, Tratamento Profiláctico com Isoniazida (TPI) e com Cotrimoxazol (TPC), avaliação nutricional e da adesão, cumprimento das linhas do tratamento em função do diagnóstico e peso, aconselhamento, periodicidade de pedido das análises de controle de CD4, hemograma, e bioquímica; por verificar na consulta pré-natal o acesso e qualidade da testagem para a mulher nas consultas (ATIP), pedido de CD4, carga viral, linhas de tratamento (PTV, TARV, TB, ITS’s, TIP e IO’s), envolvimento do parceiro (convite, aconselhamento, testagem e seguimento/encaminhamento), preenchimento correcto das fichas/livros e dos resumos mensais; pela avaliação do crescimento, entrega dos resultados e aconselhamento das mães, ligação com os serviços de TARV, início TARV para crianças PCR DNA positivas, início do cotrimoxazol para crianças expostas ao HIV na primeira consulta e avaliar o tempo de profilaxia tendo em conta a opção de PTV (A ou B+) e o aleitamento materno, vacinação, avaliação nutricional (tratamento e suplementação), teste rápido aos 9 e 18 meses; por garantir a colheita do PCR na primeira consulta (antes de 8 semanas) ou na primeira oportunidade (presença da criança na CCR, caso se trate de uma criança recuperada – PFM/CCS/Nutrição), disponibilidade dos KITs de PCR e registos, colheita e registo de PCR de confirmação; na consulta da criança sadia pela vacinação, peso, suplementação, desparasitação, testagem massiva de crianças órfãs/cujos pais apresentam seroestado desconhecido ou ainda com sinais e sintomas sugestivos de infeccão por HIV (dermatites, infecções respiratórias de repetição, candidíase oral/esofágica, otite/otorreia, diarreia persistente/crónica, malnutrição, etc) – se positivas, encaminhar para o início de TARV (maiores de 18 meses) ou para o CCR (colheita de PCR e seguimento em menores de 18 meses, nestes casos deve-se avaliar o Diagnóstico Presuntivo do HIV); por garantir na maternidade o seguimento da mãe e do recém nascido, Garantir o preenchimento dos livros de registo da maternidade, aconselhamento e testagem a toda MG na Maternidade, profilaxia das grávidas Positivas assim como das crianças expostas, referência das Crianças expostas e Mães HIV Positivas ás consultas, referir todas parturientes ás consultas de pós parto; pela gestão de medicamentos no sector: verificar o stock de medicamentos, prazos de validade, conservação e uso racional dos medicamentos e testes, preenchimento do MMIA e FILA, privacidade dos utentes no levantamento dos medicamentos (guichés); pela discussão de casos clínicos, colheita e envio de amostras de carga viral, envio de casos á província, organização dos arquivos e relatórios de casos de falência terapêutica; por avaliar a qualidade de seguimento da mulheres grávidas e lactantes HIV+ nas paragens únicas de SMI: organização dos processos (NIDs/Ordem alfabética) e FILAs (semanas), uso de FILAs para a selecção de faltosos e abandonos (referir para a busca consentida), priorização das mulheres acompanhadas pelo parceiro, início de TARV na maternidade/pós parto e CCR, seguimento da mulher e da criança na CCR no mesmo dia (juntar os processos) até o diagnóstico definitivo da criança; por apoiar as Unidades Sanitárias sem TARV no encaminhamento das mulheres grávidas HIV+ com critérios TARV para iniciar o tratamento na US TARV mais próxima, implementar as guias de transferência das mulheres grávidas de um serviço para o outro (início TARV na maternidade deve abrir o processo no pós parto e continuar o seguimento na CCR) e de uma unidade sanitária para outra (ex. A alta de uma mulher numa US de referência ou distante da sua residência, deve ser acompanhada de uma guia a referir o regime de PTV da mãe e da criança); por participar nas reuniões distrital e provincial de balanço da actividade; por discutir, distribuir e avaliar o grau de cumprimento das metas de PTV ao nível das unidades sanitárias e distrito; por garantir a profilaxia com cotrimoxazol a todas as mulheres grávidas HIV+ e profilaxia ARV a todas as crianças expostas na maternidade e CCR; por monitorar a retestagem para o HIV de 3 em 3 meses; por monitorar a avaliação e suplementação nutricional para a mulher grávida HIV+ (medição do perímetro braquial em todas as consultas); por priorizar a testagem de parceiros (tanto das mulheres HIV+ e -) e de menores de 14 anos (de mulheres HIV+).

Requisitos

  • Possuir nível médio em SMI (saúde materno infantil) e com experiência na área;
  • Pelo menos 2 (dois) anos de experiência em programas de cuidados de saúde;
  • Idade compreendida entre 21 e 45 anos;
  • Facilidade de comunicação e bom relacionamento interpessoal;
  • Conhecimentos de informática nos seguintes pacotes: Word, Excel, Microsoft Acces e Internet;
  • Responsabilidade, sentido de organização e dinamismo;
  • Boa escrita (interpretarão de relatórios);
  • Ética e deontologia profissional.

Benefícios

A oportunidade de integrar uma empresa sólida e reconhecida, que proporciona remuneração compatível com a função.

Valido ate: 03 de Dezembro de 2021.

CLIQUE AQUI PARA SE CANDIDATAR

Vagas Mais Procuradas

VdE | 10 vagas para Inquiridores | Save The Children International

VdE | 25 vagas disponíveis Facilitadora Distrital | Be Girl Mozambique LDA

VdE | 7 vagas disponíveis | MOVITEL

VdE | 17 vagas Docente N1 | MINISTÉRIO DA TERRA E AMBIENTE

VdE | digitador IDART | CONTACT

VdE | assistente de serviço ao cliente| CONTACT

VdE | Fiel de Armazém | TJ Consultants

VdE | 14 vagas conselheiros leigo-Matola | CONTACT